Stress Oxidativo

Envelhecimento Saudável

Os radicais livres são agentes determinantes do processo de envelhecimento
Uma das teorias do envelhecimento estabelece que a sua origem está precisamente na acção dos radicais livres.
A teoria sobre a acção dos radicais livres como causa principal do processo de envelhecimento foi proposta por Harman em 1957, teoria que actualmente está demonstrada através de um grande número de publicações científicas.

RADICAIS LIVRES
Radicais livres e envelhecimento
Um radical livre, é um átomo, uma molécula ou um composto que contém um electrão em estado instável. Esta definição inclui o átomo de hidrogénio e a maioria dos iões metálicos de transição. Inclui também a molécula de oxigénio, divalente, já que os seus dois electrões externos estão em diferentes órbitas, têm spins paralelos e não estão emparelhados. Os radicais livres podem ser electricamente neutros ou carregados positiva ou negativamente


O QUE É?
Os radicais livres são muito electrofílicos e com grande capacidade de ligação a locais de alta densidade eléctrica, como ligações C=C (por exemplo nos ácidos gordos insaturados), e compostos que contenham grupos nitrogénio e – SH (glutatião e cisteína, os mais frequentes).
O radical livre OH*, é o mais reactivo e mais destruidor entre os existentes no metabolismo natural.

PRINCIPAIS REACÇÕES
Principais reacções produzidas por radicais livres no organismo
Peroxidação dos lípidos
As duplas ligações dos ácidos gordos insaturados ou fosfolípidos polinsaturados são muito susceptíveis à acção dos radicais livres com a sua fragmentação e formação de hidroperóxidos e aldeídos citotóxicos.
Os peróxidos de lípidos desempenham um papel muito importante no processo da aterosclerose.

Oxidação das proteínas
Foi o mecanismo menos estudado, possivelmente porque as proteínas têm um grande turnover e os seus metabolitos não se acumulam.

Oxidação dos glúcidos
As moléculas de glucose ou frutose e os aldeídos reactivos ou cetonas podem atacar grupos amina das proteínas (glicação ou reacção de Maillard) e dar lugar a uma proteína glicada (produto de Amadori) que pode reagir com outras proteínas dando lugar a ligações irreversíveis “cross-linking”.

Lesão oxidativa do DNA
Os oxi-radicais livres podem produzir uma lesão importante no DNA, tanto mitocondrial como celular. Demonstra-se que a formação de 8-hidroxi-2´-deoxiguanosina é um indicador da lesão oxidativa do DNA e a sua determinação na urina um marcador útil deste processo.
A lesão oxidativa do DNA pode induzir mutações espontâneas que têm um papel importante no envelhecimento e na carcinogénese.

NEUTRALIZAR
O consumo de gorduras é essencial à saúde.
Para protecção das células e dos tecidos, existem mecanismos normais de eliminação dos radicais livres formados e dos seus produtos de oxidação.

Enzimas antioxidantes
Catalase
Glutatião peroxidase
Glutatião redutase
Superóxido dismutase (Mn++ e Cu-Zn dependentes)

Proteínas fixadoras de Metais
Ceruloplasmina
Hemoglobina/ Mioglobina
Citocromo oxidases
Lactoferrina
Ferritina
Transferrina

Eliminadores de Radicais Livres / neutralizantes de oxidantes
Vitaminas A, C e E (tocoferois α,δ, γ)
Carotenóides (α, β-caroteno, licopeno, luteína e diversas xantinas…)
Flavonóides (rutina, quercetina etc)
Ácido úrico, bilirrubina, albumina.
Iões metálicos essenciais a diversas enzimas antioxidantes (Cu, Mn, Zn, e Se)
Glutatião (moléculas com grupos SH).
Coenzima Q10


View Larger Map